Coletiva: Governador considera legítimas manifestações pacíficas e defende atuação da Brigada Militar

Tarso Coletiva

O governador Tarso Genro, em entrevista coletiva no Palácio Piratini, no final da noite desta segunda-feira (17), falou sobre as manifestações ocorridas em Porto Alegre e nas principais cidades do país. O chefe do Executivo considerou legítimo o protesto pacífico da juventude e defendeu a atuação da Brigada Militar, condenando atos de violência praticados por alguns manifestantes.

Após afirmar que esse tipo de atitude não contribui para o diálogo e, muito menos, para soluções democráticas, Tarso também analisou globalmente a questão e destacou que os acontecimentos são surpreendentes, mas sem uma bandeira política definida em todo país. “Há uma inconformidade da população que não está ordenada no campo político. As pessoas não se sentem representadas politicamente. Talvez o nosso parlamento possa dar agora a resposta que o país precisa. É um momento propício para se fazer uma reforma política”, disse.

Quanto à atuação da polícia gaúcha durante a manifestação, Tarso disse que, no momento em houve ataque ao patrimônio, ameaça à vida e à integridade das pessoas, a Brigada Militar, teve de reagir para proteger a cidadania. Ele garantiu que qualquer eventual excesso por parte da Corporação será apurado. “Aqui no Estado, nós determinamos que as forças de segurança fizessem o acompanhamento do movimento para garantir a integridade física das pessoas. Em determinado momento, a Brigada teve que reagir”, afirmou, ressaltando que se forem apurados excessos, “a estrutura da Segurança Pública tem as ferramentas para punir os responsáveis”.

Desde o início da noite de segunda-feira, milhares de manifestantes protestaram pelas ruas de Porto Alegre em uma ação simultânea nas principais capitais do Brasil. O ato, iniciado em frente à prefeitura da Capital gaúcha, seguiu pacífico até a esquina das avenidas Ipiranga e Azenha, onde iniciaram as depredações.