Dilma propõe cinco pactos em reunião com governadores e prefeitos

Dilma 5 pactos (480x312)

Na reunião com governadores e prefeitos nesta segunda-feira (24), a presidenta Dilma Rousseff propôs cinco pactos:

- Pela responsabilidade fiscal para garantir a estabilidade da economia e o controle da inflação.

- Plebiscito para decidir pela convocação de uma Constituinte exclusiva para tratar da reforma política no País.

-Pela saúde.

-Criação do Conselho Nacional de Transporte Público, com participação do POVO.

-Pela educação pública.

“Meu governo está ouvindo as vozes democráticas que emergem das ruas. O Brasil está maduro para avançar e já deixou claro que não quer ficar parado onde está”, disse a presidenta.

Dilma Rousseff propôs ainda uma nova legislação que considere a “corrupção dolosa [quando há intenção] como crime hediondo”, com penas mais severas. A presidenta pediu ainda agilização na implantação da Lei de Acesso à Informação.

A presidenta defendeu ainda pacto de responsabilidade fiscal, com o objetivo de manter a estabilidade da economia e o controle da inflação.

“É muito bom que o povo esteja dizendo tudo isso em alto e bom som. Cabe a cada um de nós – presidenta, ministros, governadores, governadoras, prefeitas e prefeitos – cumprir essa nova e decisiva dimensão da vontade popular. Nós todos sabemos onde estão os problemas. Nós todos sabemos que podemos construir soluções, mas também sabemos das incontáveis dificuldades para resolvê-las”, disse.

“Junto com a população, podemos resolver grandes problemas. Não há por que ficarmos inertes, acomodados ou divididos”, acrescentou. Ela disse ainda que “país deixou de ser governado para um terço da população”.

OS CINCO PONTOS DETALHADOS

Dilma acaba de anunciar 5 pactos pelo Brasil:

1 – plebiscito para convocar constituinte exclusiva para a reforma política, onde seriam eleito pessoas somente para fazer uma reforma da constituição;

2 – a presidenta vai enviar um projeto de lei que transforma a corrupção dolosa em crime hediondo;

3 – Pacto pela Saúde. Estimulo para médicos trabalharem no interior, contratação de médicos estrangeiros para atender onde não há médicos brasileiros, criação de 11 mil vagas de graduação em medicina e mais 12 mil em residência médica;

4 – Pacto pela Mobilidade Urbana: R$ 50 bilhões de investimento em mobilidade urbana, criação com Conselho Nacional de Transporte Público, com participação da sociedade, para discutir o transporte público e as tarifas públicas;

5 – Pacto pela Educação com destinação de 100% dos royalties para educação.