Artigo: Mar de notícias boas por João Ferrer

A Folha de São Paulo on line publicou uma matéria neste domingo (2/2) que pinta um quadro bem próximo da realidade do Rio Grande. Mas de três anos atrás. A matéria contém pelo menos dois atrasos: o primeiro, é publicar um estudo cujos dados são de 2011 sem perguntar pra ninguém se algo havia mudado desde lá. O segundo, é publicar esse estudo três meses após a sua divulgação pelo IBGE.

Para infelicidade dos gaúchos, a realidade era mesmo aquela. Mas isso foi há três anos. Agora, para felicidade dos gaúchos, o RS entrou em um novo ciclo de desenvolvimento, resultado de um conjunto de estratégias e políticas que estão sendo levadas a cabo pelo atual governo em parceria com governo federal, municípios e com a iniciativa privada.

Vejam só alguns dados:
Em 2013, o RS vai crescer mais que o dobro do Brasil. O dado oficial será divulgado apenas ao final de fevereiro, mas já se sabe que o índice de crescimento do PIB gaúcho ficará em torno dos 6%, talvez um pouco acima disso.

Em 2012 foi anunciado e em 2013 concretizado o maior investimento privado feito na história do RS. A Celulose Riograndense está ampliando a sua planta, com um investimento de R$ 5 bilhões. Ao todo, já são R$ 30 bilhões em investimentos privados negociados.

Em 2013, o Rio Grande do Sul bateu o recorde no Brasil em qualificação técnica de jovens trabalhadores. Foram cerca de 130 mil matriculados no Pronatec, o maior entre todos os Estados.

Em 2013, a região metropolitana de Porto Alegre foi a que registrou o menor índice de desemprego brasileiro, na faixa dos 3,5%.

Por conta da colaboração entre Estado e União, o Rio Grande do Sul é o terceiro Estado da Federação com o maior nível de investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Isso está qualificando a infraestrutura do Rio Grande do Sul a olhos vistos. As duplicações das rodovias, os investimentos em habitação e saneamento são alguns exemplos dessa colaboração.

Até 2012, o Estado diminuiu o déficit habitacional em cerca de 27%, a melhor performance em todo o Brasil.

O Polo Naval de Rio Grande está mudando a geografia econômica da Metade Sul, criando um ciclo virtuoso de crescimento que impacta toda a região. Por conta da produção das plataformas de petróleo, o Rio Grande do Sul foi o Estado que mais cresceu suas exportações em 2013.

O Rio Grande do Sul está atraindo investimentos e criando o maior Polo Eólico do país. Mantido esse ritmo, em dez anos seremos um dos únicos Estados autônomos em produção energética. E produzindo energia limpa.

Entra no www.rs.gov.br e navega. Tem um mar de notícias boas.