Nota do presidente, frente às declarações dos deputados Luis Carlos Heinze e Alceu Moreira.

Na condição de presidente do Partido dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul, expresso profundo repúdio e indignação frente as opiniões do deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS) amplamente divulgada nas redes sociais nesta quarta-feira (12/02) onde afirma que quilombolas, indígenas, gays e lésbicas são “tudo o que não presta”, declarações racistas, homofóbicas e que abertamente incitam à violência e a formação de milícias.

Reafirmo a posição histórica do PT na defesa dos Direitos Humanos e da solução pacífica aos conflitos sociais. A posição do deputado Heinze e também do deputado federal Alceu Moreira (PMDB/RS) não é posição isolada e tem guarida em um campo político que defende um modelo de desenvolvimento responsável pela exclusão, violência, concentração de renda e de poder. Representantes deste projeto segregador, ambos os deputados votaram a favor do trabalho escravo, ao se opor à PEC do Trabalho Escravo, que destina à Reforma Agrária as terras onde forem encontrados trabalhadores em regime análogo ao de escravidão. Esse projeto político foi rejeitado pela sociedade brasileira e gaúcha, que escolheu o caminho do diálogo, da tolerância e do respeito às diferenças.

Ary Vanazzi
Presidente do PT do Rio Grande do Sul

Porto Alegre, 12 de fevereiro de 2014