Vanazzi visita secretário da Segurança Pública

Ary e Michel

Executiva Estadual divulgou nota sobre a ação da Brigada Militar em Santa Maria 

O presidente estadual do PT/RS, Ary Vanazzi, visitou ontem o secretário estadual da Segurança Pública, Airton Michels. Na conversa, Vanazzi abordou temas relacionados à segurança pública no Rio Grande do Sul, como a ação da Brigada Militar em Santa Maria na quinta-feira passada durante manifestação contra o aumento da passagem e o incêndio de dez viaturas novas no pátio da Acadêmia da Brigada Militar em Porto Alegre.

Na tarde de segunda-feira, o presidente municipal do PT de Santa Maria, Sidinei Cardoso, esteve na sede do Diretório Estadual e relatou ao presidente Vanazzi a situação na cidade. Na avaliação de Sidnei, a ação foi contra o que tem sido a orientação do governo do estado para a atuação da Brigada nas manifestações, Vanazzi levou essa posição ao secretário de Segurança. A ouvidoria da Secretaria de Segurança está desde a sexta-feira acompanhando os desdobramentos.  A Defensoria Pública também está orientando os manifestantes feridos, que totalizaram mais de 20. O PT do Rio Grande do Sul seguirá acompanhando o caso. Ontem, em nova manifestação, cerca de 140 estudantes estiveram nas ruas de Santa Maria, a ação foi acompanhada pela Brigada Militar, , dessa vez sem nenhum tipo de incidente ou de feridos.

Em relação ao incêndio, o governo do estado trata o episódio com um atentado. O relatório do Instituto Geral de Pericias deve sair em 30 dias e a Corregedoria abriu um Inquérito Policial Militar para investigar o caso.

Leia a Nota do PT do Rio Grande do Sul sobre Santa Maria:

NOTA

O Partido dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul vem a público manifestar sua contrariedade a atitude da Brigada Militar em Santa Maria durante as manifestações do transporte público contrariando as orientações feita pelo comando da instituição que é de respeito a integridade fisica das pessoas e da democracia. O PT/RS é contrário e repudia o uso da força excessiva e desproporcional, entendendo que os abusos não podem ser tolerados e defende a apuração dos fatos e das responsabilidades sobre o ocorrido.

A linha de atuação das polícias deve ser a de preservar a vida – de manifestantes e de policiais – e de garantir o direito constitucional à livre manifestação. Em respeito aos 34 anos anos de história do PT, de construção democrática e de fortalecimento da democracia, entendemos como justa a organização popular e as manifestações pacíficas.

Por fim, repudiamos as inaceitáveis posições do presidente da Associação dos Oficiais da Brigada Militar que, a partir de notas pagas na imprensa, incitam à violência e atacam a ordem constitucional e o Estado Democrático de Direito.

Partido dos Trabalhadores – Rio Grande do Sul