Tarso Genro registra candidatura no TRE

Registro Chapa Maj

Tarso Genro registrou, na tarde desta quarta-feira (2/7), sua candidatura a reeleição ao governo do Estado no Tribunal Regional Eleitoral. A Chapa majoritária da UNIDADE POPULAR PELO RIO GRANDE foi a primeira a fazer seu registro no T.R.E.

Candidato a reeleição, Tarso Genro assinou o protocolo de registro na presença da candidata a vice-governadora  Abgail Pereira (PCdoB), do candidato ao Senado Olívio Dutra (PT) e dos suplentes de senador, Carlos Vargas(PTB) e Patrícia Beck (PTB), de lideranças e presidentes dos partidos que compõem a coligação

Após o registro, Tarso Genro foi recebido pelo diretor geral do TRE, Antonio Augusto Portinho da Cunha. Falaram da lisura e da tranquilidade do processo eleitoral que sempre balizou as eleições no Rio Grande do Sul.

TRAJETÓRIA DOS INTEGRANTES DA CHAPA MAJORITÁRIA/ UNIDADE POPULAR PELO RIO GRANDE

TARSO GENRO/ Candidato a Governador
Tarso Genro tem 67 anos, é bacharel em Direito pela Universidade Federal de Santa Maria, especializado em Direito Trabalhista. Em sua atuação profissional, foi advogado de sindicatos e associações profissionais em todo o estado. É membro do Instituto dos Advogados Brasileiros e tem vários livros editados sobre Direito do Trabalho, Política e Literatura.
Tarso foi eleito suplente de deputado constituinte, em 1986, tendo assumido o mandato de deputado federal entre 1990 e 1992. Teve participação destacada, como vice-prefeito, na primeira gestão da Administração Popular em Porto Alegre, entre 1989 e 1992, quando iniciamos um processo marcante de inversão de prioridades e construção da principal experiência de participação popular no âmbito das gestões municipais, o Orçamento Participativo.
Posteriormente, foi prefeito da capital gaúcha em duas gestões, entre 1993 e 1996 e entre 2001 e 2002, quando se consolidou o que chamamos de modo petista de governar, com a constituição da gestão de Porto Alegre como uma referência mundial, conquistando o prêmio Habitat, da ONU, sobre gestão pública e sediando o 1 Fórum Social Mundial e, depois, o 1 Fórum Mundial de Autoridades Locais.
Foi ministro da Justiça do governo Lula; ministro da Secretaria Especial do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social; ministro da Educação e ministro da Articulação Política. Na condição de importante protagonista de nossa experiência nacional de governo, Tarso coordenou a instituição de programas importantes do governo Lula, como o Prouni, na Educação, e o Pronasci, na Justiça.
Nasceu em São Borja (RS), em 06 de março de 1947. Em 1968 iniciou suas atividades de representação partidária, sendo eleito vereador em Santa Maria pelo único partido oposicionista existente na época, o MDB (Movimento Democrático Brasileiro). Perseguido pela ditadura, buscou exílio no Uruguai, em 1969.
De volta ao Brasil, atuou nos movimentos pela democratização, ingressando no PT logo após a sua fundação, tendo sido candidato do partido e da Frente popular ao governo do estado por duas vezes: em 1990, quando conquistamos 10% dos votos, e em 2006, quando alcançamos 48% da votação no segundo turno eleitoral.
Tarso exerceu, também, a função de presidente nacional do Partido dos Trabalhadores em um período de transição durante a crise partidária de 2005.
Em 2010, foi eleito governador do Rio Grande do Sul com 54% dos votos do povo gaúcho.
Em 2014, concorre a reeleição pelo Partido dos Trabalhadores integrando a UNIDADE POPULAR PELO RIO GRANDE.

ABGAIL PEREIRA/ candidata a vice-governadora
Abgail Pereira nasceu em 30 de julho de 1960 em Caxias do Sul. Pedagoga pela Universidade de Caxias do Sul, com especialização em Psicopedagogia pela Universidade Castelo Branco (RJ), é funcionária pública lotada na Secretaria Municipal de Cultura, exercendo suas funções junto à Biblioteca Municipal de Caxias do Sul.
Casada com Guiomar Vidor, é mãe de Thomáz e Filipe, que, juntamente com Luciana, gerou os netos de Abgail: Rafaela (2011) e Roger (2013).
Filiada ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Abgail foi dirigente do Comitê Municipal de Caxias do Sul e do Comitê Estadual. Em 2009 elegeu-se para a direção nacional do partido e, no RS, fez parte da Comissão Política e da Direção.
Abgail traz em seu currículo experiências como educadora, sindicalista na defesa dos trabalhadores e ativista dos direitos da mulher. Na política, foi candidata a vereadora e a vice-prefeita em Caxias do Sul, culminando com a candidatura ao Senado em 2010, quando recebeu mais 1,5 milhão de votos.
Sua trajetória e capacidade de articulação levaram o governador Tarso Genro, recém-eleito, a apostar em seu nome para um grande desafio: fazer do turismo no Rio Grande do Sul um dos vetores de desenvolvimento econômico e social do estado.
Como gestora da Secretaria de Estado do Turismo (SETUR), instituiu um modelo de gestão democrático e participativo que lhe rendeu reconhecimento no RS e no país.
Em 2014, concorre a vice-governadora na Chapa da UNIDADE POPULAR PELO RIO GRANDE.

OLÍVIO DUTRA/ candidato a Senador
Olívio Dutra nasceu no dia 10 de junho de 1941 no município de Bossoroca, interior do Rio Grande do Sul. Filho de uma família de pequenos agricultores sem-terra – Cassiano Xavier Dutra e Amélia de Oliveira – é casado desde 1968 com Judite da Rocha Dutra, com quem teve dois filhos: Espártaco, nascido em 23 de junho de 1969 e Laura, que nasceu em 15 de dezembro de 1970. É formado em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs).
Funcionário do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) desde 1961, foi transferido para Porto Alegre em 1970, sendo eleito presidente do Sindicato dos Bancários da Capital em 1975. Em 1979, período da ditadura militar, Olívio Dutra foi um dos líderes da greve de trabalhadores no Rio Grande do Sul, razão pela qual foi preso e teve seu mandato cassado.
Em 1980, participou da fundação do Partido dos Trabalhadores. Foi presidente estadual até 1986 e eleito para a presidência nacional do partido no ano seguinte.
Em 1982 foi candidato a governador pelo PT obtendo 50.713 votos e consolidando a estruturação do partido no RS.
Em agosto de 1983, ajudou a fundar a Central Única dos Trabalhadores (CUT).
Elegeu-se deputado federal constituinte em 1986.
Em 1988, Olívio Dutra venceu as eleições para a prefeitura de Porto Alegre com 247.517 votos (34,34% dos votos), implementando o Orçamento Participativo e inaugurando na Capital uma seqüência de administrações petistas.
Em 1994 foi candidato ao Governo do Estado, em uma das eleições mais disputadas da história do Rio Grande do Sul, recebendo, no primeiro turno, 1.560.992 votos e, no segundo turno, 2.453.174, o equivalente a 45% dos votos dos gaúchos.
Em 1995, é eleito, novamente, presidente do PT no RS. No 13º Encontro Estadual do PT/RS, em maio de 1998, foi escolhido candidato ao Governo do Estado do Rio Grande do Sul pelo PT e Frente Popular, referendando o resultado das prévias internas do partido realizadas em 22 de março.
Em 25 de outubro, no segundo turno das eleições de 1998, foi eleito governador do Estado do Rio Grande do Sul, com cerca de 51% dos votos válidos.
Termina seu mandato em 31 de dezembro de 2002 e em 2 de janeiro de 2003 é nomeado Ministro das Cidades pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Em setembro de 2005, é eleito pela terceira vez presidente do PT/RS com 21.374 dos votos válidos, ou 82,99%.
Em 2006, disputa as eleições para o governo do Rio Grande do Sul levando o Partido dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul ao segundo turno.
Em 2007, disputa as eleições internas do partido para presidente do PT/RS. Olívio Dutra é reeleito presidente do PT gaúcho com 75% dos votos no Processo de Eleições Diretas do partido.
Em 2011, Diretório do PT gaúcho aclama Olívio Dutra presidente de honra do partido.
Em 2014, Olívio Dutra é o indicado do partido para disputar o Senado pela UNIDADE POPULAR PELO RIO GRANDE.

CARLOS VARGAS/ candidato a 1º suplente ao Senado
O primeiro suplente do candidato ao Senado pelo PT, Olívio Dutra, é Carlos José Carvalho Vargas, mais conhecido entre os petebistas como Carlinhos Vargas. Ex-Deputado Estadual, também foi Vice-Presidente e Secretário Geral do PTB/RS. Filiado desde 1988, foi Presidente da Juventude Estadual e Nacional do PTB, além de Chefe de Gabinete Parlamentar do Deputado Sérgio Zambiasi e Diretor do Trabalho no Governo Rigotto. Funcionário público municipal em Guaíba/RS, iniciou a carreira política no Movimento Estudantil nos anos 80 na UGES e na UNE.
PATRICIA BECK/candidata a 2ª suplente ao Senado
A segunda suplente, Vereadora Patrícia Beck, é natural de Novo Hamburgo, onde é empresária e estudante de Ciências Políticas. Iniciou seu envolvimento com a política em 2000 e, em 2004, já disputou uma vaga na Câmara Municipal de Novo Hamburgo. Demonstrando sempre coerência e firme posicionamento, destacou-se no cenário político e conquistou a posição de suplente em 2008. Em 2011 decidiu fazer a transição para o PTB e, no ano seguinte foi eleita com 1688 votos. Assumindo um compromisso com os habitantes de Novo Hamburgo e região, busca trabalhar em prol de melhorias e desenvolvimento.