Saúde: Governo reabrirá o Hospital de Charqueadas, fechado há 20 anos

Estado repassará mensalmente R$ 2 milhões para atendimento a toda a Região Carbonífera

O governo do Estado e a Fundação Hospitalar Getúlio Vargas (FHGV), em parceria com a Prefeitura de Charqueadas, assinaram nesta quinta-feira (16) o contrato que viabiliza a reabertura do Hospital Municipal, que será 100% SUS. A solenidade foi realizada no Pronto Atendimento do Município, local onde será implantada a nova instituição de saúde, que terá capacidade para atender toda Região Carbonífera do Rio Grande do Sul.

Na oportunidade, a secretária estadual da Saúde adjunta, Rosângela Dorneles, ressaltou o compromisso do governo em garantir à população atendimento de qualidade e 100% SUS. “Com esse contrato, o Hospital de Charqueadas receberá recurso mensal do governo do Estado no valor de R$ 2 milhões. Esse custeio orçamentário vai liberar o município, que não precisará investir seu orçamento no hospital. A Prefeitura terá a tarefa de acompanhar o trabalho da nova gestão”, disse.

De acordo com a titular da 2ª Coordenadoria Regional de Saúde do RS, Janete Marques, a mobilização da comunidade contribuiu para reabertura do hospital. “O esforço da comunidade e do governo do Estado em melhorar a saúde da população de Charqueadas merece nosso reconhecimento. A Região Carbonífera ganha muito com a retomada do hospital”, destacou.

A secretária municipal de Saúde, Lisiane Lopes, falou com emoção sobre a importância dessa conquista para a população de Charqueadas. “Enfrentamos muitas dificuldades para realizarmos essa conquista, pois lutamos muito para devolver o Hospital de Charqueadas à comunidade”, disse.

O prefeito de Charqueadas, Davi Gilmar Souza, resgatou a trajetória para garantir a reabertura do Hospital Municipal. “Desde 2008, atuamos em um projeto para recuperar o Hospital de Charqueadas, que estava fechado há 20 anos. Somos parceiros desta iniciativa do governo do RS e da Fundação em viabilizar o Hospital de Charqueadas. Inclusive, conseguimos uma área desapropriada de dois hectares para futura expansão dessa Casa de Saúde”, afirmou.

Para o diretor geral da FHGV, Juarez Verba, a proposta em transformar o Pronto Atendimento em um hospital com capacidade de atender a Região Carbonífera é um desafio. “Nos primeiros quatro meses, faremos a manutenção do Pronto Atendimento Municipal e as adequações exigidas pela Vigilância Sanitária. Depois dessa etapa, inicia a implantação do hospital, com as devidas condições para atender a população com mais qualidade”, disse. Ele aproveitou a ocasião para apresentar a diretora administrativa do novo hospital de Charqueadas, Carolina Santanna, e a diretora assistencial, Zara Mondadori.