Diretório aprova ações políticas para o próximo período

DR 22 11

DIRETÓRIO DO PT/RS de sábado (22), no sindicato dos Bancários de Porto Alegre.

PT/RS aprovou dez Resoluções que vão orientar o partido no próximo período. Entre elas, a Resolução de Balanço Eleitoral e de ações para o próximo período. Esta pauta balizou o debate na amanhã do sábado (22) e teve como destaque  – o grande desafio de aprofundar a democracia no país, – de organizar os partidos de esquerda,  movimentos sociais e a juventude, (agentes políticos que garantiram a vitória da presidenta Dilma), para disputar a hegemonia  política no cenário nacional. O PT também definiu como tarefa política prioritária, a defesa intransigente do projeto reeleito para governar o Brasil, – projeto político baseado no desenvolvimento econômico subordinado ao emprego e a distribuição de renda.

Do balanço eleitoral, os petistas avaliaram, “o PT demonstrou mais uma vez seu vigor nas urnas, elegendo 5 governadores, a maior bancada da Câmara Federal com 70 deputados que receberam 13,5 milhões de votos, e a segunda maior bancada no Senado com 14 senadores. Nas Assembleias legislativas foram 108 cadeiras conquistadas em 25 estados. O resultado eleitoral representa uma grande vitória em condições adversas. Não devemos desconsiderar , no entanto, que reduzimos a nossa votação global em relação aos pleitos anteriores. Esta queda na votação atribui-se principalmente aos processo de criminalização sofrido pelo PT nos últimos 12 anos, colocado em marcha por setores do Judiciário com respaldo da grande mídia, que serviu para impulsionar o crescimento do pensamento conservador em nossa sociedade”, diz o documento.

Combate a corrupção
No texto, a urgência da Reforma Política como forma de acabar com a prática no País.

O PT gaúcho aprovou Resolução que exige o aprofundamento do combate a corrupção onde afirma: – quando chegamos no governo tomamos medidas importantes para mudar esta história (de corrupção), aponta o texto.  Efetivamos a autonomia da Polícia Federal retirando a interferência política do governo nas investigações e reaparelhamos o órgão dando condições técnicas para o efetivo cumprimento de seu trabalho, diz o texto, que ainda indica a aprovação de leis rigorosas para punir agentes públicos; transformar crime a prática do caixa 2; o confiscos dos bens de envolvidos, e uma nova estrutura no poder Judiciário, que dê maior agilidade (…) contra aqueles que têm foro privilegiado, pontuam os petistas.

Legado no Estado
Também foi destaque no debate do Diretório Estadual, a defesa do legado do governo Tarso Genro  que, em quatro anos de governo, mudou os indicadores sociais, econômicos e de participação popular no estado, colocando o RS em lugar de destaque no cenário nacional.

O compromisso, diz o texto da Resolução, é produzir e divulgar conteúdos com as realizações e projetos do governo Tarso para serem apropriados pelos partidos da base aliada e militância e fazer a fiscalização através de uma oposição propositiva e qualificada ao governo Sartori, eleito sem projeto, “com um verdadeiro  cheque em branco concedido pela maioria do eleitorado gaúcho, Sartori buscará  justificar no nosso governo sua falta de ação, de obras e de investimentos”, diz o documento.

Desafios para o próximo período
A direção estadual do PT se comprometeu, ainda, de ampliar a organização do partido no Estado, fortalecer as direções municipais e as coordenadorias regionais, fazer a etapa estadual  do V Congresso do partido, e garantir, junto com as forças organizadas da sociedade, a criação um fórum permanente de partidos e movimentos sociais em defesa da democracia, da reforma política e da democratização da mídia.