Associação de prefeitos e vices do PT aprova nome para presidência da Famurs

prefeitos e vice folador

A Associação de Prefeitos e Vices do PT/RS aprovou o nome de Luís Carlos Folador, prefeito de Candiota, para ocupar o cargo de presidente da FAMURS no período 2015-2016.

A reunião ocorreu na manhã desta quarta-feira (13) no centro de Porto Alegre. Os mais de trinta municípios presentes foram unânimes em destacar a importância da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul como ferramenta de organização de políticas públicas, de projetos e instrumento de desenvolvimento e de reivindicação das unidades da federação.

O presidente do PT/RS, Ary Vanazzi, que ocupou o cargo de presidente da Famurs, como prefeito de São Leopoldo nos anos de 2012/13, destacou a importância da Federação como instituição que “tem poder de mobilização para garantir por políticas importantes, como a luta pela manutenção da destinação do royalties do pré-sal para a educação “que vai beneficiar os municípios sobremaneira”, salientou.

O presidente da Associação de Prefeitos e Vices do PT Nelson Grasselli, de Pontão, destacou a importância do PT no comando da Famurs como aglutinador e organizador dos vários municípios do Estado, “é no município que a vida do País acontece e é lá que devemos atuar para melhorar a vida das pessoas, por isso a importância de organizar prefeitos, vices, secretários para uma agenda propositiva e estratégicas para o desenvolvimento do nosso Estado”.

O prefeito de Candiota, Luís Carlos Folador foi econômico na sua manifestação, mas não menos comprometido com seu mandat2015/16) a frente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul. “Temos a responsabilidade de conhecer todos os municípios do Estado, suas experiências e necessidades, trabalhar muito, levantar cedo e dormir tarde, e com isso buscar junto aos órgãos competentes, ao governo federal, parlamentares e a comunidade, um pacto federativo que foque o municipalismo, o apoio técnico e administrativo às prefeituras, uma reforma política ética e democrática e a reforma tributária, tão necessária para o crescimento de todo País”.