Frente Brasil Popular no RS: – mobiliza e chama ato Em Defesa da Democracia e da Petrobras

Frente Brasil Popular2

A Frente Brasil Popular no Rio Grande do Sul convida para ato no sábado (2/10), no Largo Glênio Peres, EM DEFESA DA DEMOCRACIA E DA PETROBRAS.


PRÉ-LANÇAMENTO DA FRENTE BRASIL POPULAR NO RS

Os movimentos de luta do Rio Grande do Sul realizaram ato de pré-lançamento da FRENTE BRASIL POPULAR, na terça-feira (29/9) no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Estado.
O ato reuniu 52 dirigentes sindicais de 12 categorias de trabalhadores, lideranças de movimentos sociais como MST, Via Campesina e Movimento de Luta pela Moradia, representantes de entidades estudantis como a União Nacional de Estudantes (UNE) e de dois partidos políticos, PT e PC do B.
Dirigentes e líderes dos movimentos foram unânimes em afirmar que é necessário construir uma grande frente das força populares para construir a hegemonia da classe trabalhadora na sociedade; enfrentar a onda conservadora que avança sobre as políticas públicas; e evitar o golpe que caminha a passos largos contra a democracia.
A Frente Brasil Popular se organiza em todo País e tem como plataforma de luta um programa* mínimo para debater com as forças populares e avançar na ruptura com as políticas neoliberais que vem dominam a economia do País. A FBP quer mobilizar a classe trabalhadora para lutar por mudanças importantes na conjuntura nacional disputando ideias e a saída para a crise.

O presidente estadual do PT, Ary Vanazzi, destacou o desafio de construir uma unidade política da dimensão que a atual conjuntura exige. “Nós temos um acirramento da luta política em uma dimensão maior que a nossa capacidade atual. Nosso desafio é construir uma frente que não seja para nós mesmos, mas que consiga ampliar e reunir outros setores da sociedade. A ideia com a Frente Brasil Popular não é criar um novo partido, nem é criar um espaço sem partidos. Nós, do PT, não queremos ser protagonistas deste processo, mas apenas uma parte dele. Tampouco pode ser uma frente meramente para defender o governo. Nosso desafio é retomar um trabalho de luta política e debate, na base da sociedade, que nós erramos em abandonar”, disse Vanazzi.

 (*) MANIFESTO

Leia a íntegra do documento:

‘’ Frente Brasil Popular: Manifesto ao Povo Brasileiro.
Vivemos um momento de crise. Crise internacional do capitalismo, crise econômica e política em vários países vizinhos e no Brasil.
Correm grave perigo os direitos e as aspirações fundamentais do povo brasileiro ao emprego, ao bem-estar social, às liberdades democráticas, à soberania nacional, à integração com os países vizinhos.

Para defender nossos direitos e aspirações; para defender a democracia e outra política econômica; para defender a soberania nacional e a integração regional; para defender transformações profundas em nosso País, milhares de brasileiros e brasileiras de todas as regiões do País, cidadãos e cidadãs, artistas, intelectuais, religiosos, Parlamentares e Governantes, assim como integrantes e representantes de movimentos populares, sindicais, partidos políticos e pastorais, indígenas e quilombolas, negros e negras, LGBT, mulheres e juventude, realizamos esta Conferência Nacional, na qual decidimos criar a Frente Brasil Popular.
Nossos objetivos são:
1- Defender os direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras: melhorias das condições de vida, emprego, salário, aposentadoria, moradia, saúde, educação, terra e transporte público!
Lutamos contra o atual ajuste fiscal e contra todas as medidas que retiram direitos, eliminam empregos, reduzem salários, elevam tarifas de serviços públicos, estimulam a terceirização, ao tempo em que protegem a minoria rica.
Defendemos uma política econômica voltada para o desenvolvimento com distribuição de renda.
Lutamos contra a especulação financeira nacional e internacional, que transfere para uma minoria, por vias legais ou ilegais, através da corrupção e de contas bancárias secretas, parte importante da riqueza produzida pelo povo brasileiro;
Lutamos por uma reforma tributária que — por meio de medidas como o Imposto sobre Grandes Fortunas e a auditoria da dívida — faça os ricos pagarem a conta da crise.

2. Ampliar a democracia e a participação popular nas decisões sobre o presente e o futuro de nosso País.
Lutamos contra o golpismo — Parlamentar, judiciário ou midiático — que ameaça a vontade expressa pelo povo nas urnas, as liberdades democráticas e o caráter laico do Estado;
Lutamos por uma reforma política soberana e popular que fortaleça a participação direta do povo nas decisões políticas do País, garanta a devida representação dos trabalhadores, negros e mulheres, impeçao sequestro da democracia pelo dinheiro e proíba o financiamento empresarial das campanhas eleitorais;
Lutamos contra a criminalização dos movimentos sociais e da política, contra a corrupção e a partidarização da justiça, contra a redução da maioridade penal e o extermínio da juventude pobre e negra das periferias, contra o machismo e a homofobia, contra o racismo e a violência que mata indígenas e quilombolas;

3.- Promover reformas estruturais para construir um projeto nacional de desenvolvimento democrático e popular: reforma do Estado, reforma política, reforma do Poder Judiciário, reforma na segurança pública, com desmilitarização das Polícias Militares, democratização dos meios de comunicação e da cultura, reforma urbana, reforma agrária, consolidação e universalização do Sistema Único de Saúde, reforma educacional e reforma tributária.
Lutamos pela democratização dos meios de comunicação de massa e pelo fortalecimento das mídias populares, para que o povo tenha acesso a uma informação plural, tal como está exposto na Lei da Mídia Democrática.

4 – Defender a soberania nacional: o povo é o dono das riquezas naturais, que não podem ser entregues às transnacionais e seus sócios.
Lutamos em defesa da soberania energética, a começar pelo pré-sal, a Lei da Partilha, a Petrobrás, o desenvolvimento de ciência e tecnologia, engenharia e de uma política de industrialização nacional;
Lutamos em defesa da soberania alimentar e em defesa do meio ambiente, sem o qual não haverá futuro.
Lutamos contra as forças do capital internacional, que tentam impedir e reverter a integração latino-americana.

Convidamos todas e todos que se identificam com esta plataforma a somarem-se à construção da Frente Brasil Popular.
O povo brasileiro sabe que é fácil sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho. Mas sabe também que sonho que se sonha junto pode se tornar realidade.