Nota oficial: PT presta solidariedade a Stédile por agressões sofridas

João Pedro Stedile

Ao deixar o aeroporto de Fortaleza (CE), na noite desta terça-feira (22), Stedile foi agredido verbalmente e ameaçado

O Partido do Trabalhadores emitiu nota, nesta quarta-feira (23), em solidariedade ao líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stedile. Ao deixar o aeroporto de Fortaleza (CE), na noite desta terça-feira (22), Stedile foi agredido verbalmente e ameaçado, aos gritos, por um grupo de pessoas.
Em repúdio, o PT afirma que essa manifestação de ódio e intolerância faz parte de uma “ofensiva conservadora” que age contra os movimentos sociais, a esquerda e a democracia.
A nota, assinada pelo presidente Nacional do PT, Rui Falcão, e pelo secretário nacional de movimentos populares do partido, Bruno Elias, cobra a apuração e responsabilização dos agressores.

Leia na nota na íntegra:
“Nota de solidariedade ao MST e repúdio ao ato de agressão a João Pedro Stédile

O Partido dos Trabalhadores repudia a agressão sofrida pelo companheiro João Pedro Stedile na noite de 22 de setembro, no aeroporto de Fortaleza. Ao mesmo tempo, manifesta solidariedade ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, do qual Stédile é coordenador nacional.
A ofensiva conservadora e a criminalização dos lutadores do nosso povo exigem a pronta reação e mobilização do campo democrático popular.
Longe de ser um episódio pontual, trata-se de mais uma manifestação de ódio, intolerância e violência da direita brasileira contra os movimentos sociais, a esquerda e a democracia.
O PT se soma às manifestações e atos públicos em solidariedade ao companheiro Stédile e ao MST e exige das autoridades a pronta apuração e responsabilização dos agressores.

Rui Falcão, presidente nacional do PT
Bruno Elias, secretário nacional de movimentos populares do PT”