PT: Em defesa da democracia, do desenvolvimento e da nossa história militante

Ato PT 13

PT reúne lideranças em ato na Capital em defesa da  Em defesa da democracia, do desenvolvimento e da nossa história militante. Com este lema, o Partido dos Trabalhadores reuniu líderes do partido de todo o Rio Grande do Sul, num almoço nesta sexta-feira (13), no salão da Igreja Pompéia, no Centro de Porto Alegre.

O presidente estadual do PT Ary Vanazzi abriu o ato conclamando os presentes a uma homenagem ao petista e ex-prefeito de Porto Alegre João Verle, falecido no último final de semana, uma salva de palmas marcou a homenagem.
Para  Ary Vanazzi o ato é um símbolo de resistência e união por quem sempre construiu a história com todas as dificuldades. “O PT é um partido da militância e enfrentaremos 2016 com muito mais força que em 2015”, antecipou o dirigente, referindo-se ao período eleitoral do próximo ano. “Vamos transformar 2016 como um marco de uma nova política, com novas alianças. Não vamos abrir mão da nossa história de lutas e conquistas populares. Vamos dar uma resposta ao que a sociedade clama.”

Foto Caco Argemi

Um ato histórico no local onde a sigla foi fundada no RS e que demonstrou a força e a mobilização do partido, os compromissos do PT com os(as) trabalhadores(as) e com os movimentos sociais, segundo o líder da Bancada na Assembleia Legislativa, Luís Fernando Mainardi.

Mais de 500 lideranças, entre elas, o ex-governador Tarso Genro, o presidente do PT, Ary Vanazzi, as bancadas federal e estadual, prefeitos(as), vereadores(as) e dirigentes do partido nos municípios gaúchos participaram da atividade. Além deles, dirigentes de entidades sindicais, dos movimentos sociais e populares e das setoriais do PT – mulheres, negros, jovens – estavam presentes..

Nos discursos, foi enfatizada a defesa do Partido, a ética na política e a luta contra o neoliberalismo que ronda a democracia implantada no País.

O ex-governador Tarso Genro, ao discursar, citou o outro líder partidário, Olívio Dutra, “símbolo de ética pública e de responsabilidade política, no qual o PT nacional deveria se inspirar, assim como faz a bancada federal e estadual”.

Para o próximo ano, Tarso diz que o PT terá que saber se reconstruir. “Deveremos responder aos desafios do próximo período eleitoral de maneira sólida contra o golpismo. É preciso que o PT mude a sua forma de fazer alianças, a fim de promover mais inclusão e a recomposição de construção da nação.” E concluiu: “Em 2016, manteremos os compromissos históricos com a população e mostraremos que o nosso partido tem capacidade de luta e de recuperação”.

Além de Ary Vanazzi e Tarso Genro, outras lideranças do PT discursaram no ato.

Deputado estadual Luís Fernando Mainardi, líder da Bancada na ALRS
“O motivo de realizar este ato é termos a convicção do nosso companheirismo e da nossa solidariedade. É um momento de afirmar e reafirmar valores importantes não só para o PT mas para a vida política nacional. Estamos aqui pela defesa da democracia. Não abrimos mão deste valor. Defendemos o Governo Dilma. Queremos o desenvolvimento do estado e do Brasil com mais inclusão. Não queremos retrocessos nas políticas sociais. Temos orgulho da nossa história e das nossas administrações em todo o país e no RS. Temos orgulho de uma história de mais de três décadas de avanços sociais. Temos orgulho de dizer ‘somos do PT’. Queremos muito mais mudanças e mais oportunidades para todos.

Deputada estadual Miriam Marroni
“Nós estamos vivos. Nós estamos na luta pra levar adiante o nosso ideal. O PT está pronto pra disputar as eleições em todos os municípios. Nossa história tem provado isso. A nossa luta vai continuar, aqui, e em todos os lugares.”

Raul Pont, ex-deputado
“Os partidos políticos sempre passam por momentos difíceis. O PT passa por um deles. O partido nasceu com a convicção de que eram necessárias mudanças. Estamos com um grande desafio, que é mostrar ao nosso governo federal o caminho a ser trilhado. O PT não se coaduna com pensamentos neoliberais. O PT tem consciência que vai continuar, sempre, ao lado dos trabalhadores.”

Deputada federal Maria do Rosário
“A Bancada federal do PT acredita que este momento é muito importante pela luta que enfrentamos. Há uma grande tempestade no País, que tem como centro político a Câmara dos Deputados. O PT não pode vacilar na defesa da democracia. Não podemos fazer pactos que firam a história que construímos neste país. O partido está pronto pela sua história. Não nos acomodamos nos espaços do poder. Para governarmos o Brasil, devemos estar em sintonia com o povo brasileiro. Viva o PT, mas o partido militante, que tem história de luta.”

Luiz Fernando Schmidt, prefeito Lajeado
“Este momento demonstra que ninguém vai acabar com o PT. Temos certeza que a crença e a história do PT é de luta pela reforma agrária, pela democracia, pelo aumento do salário mínimo, entre tantas outras lutas históricas e de conquistas para todos os trabalhadores. Compreendemos que alguns cometeram erros dentro do PT e têm que pagar por eles. Mas vamos continuar construindo nossa luta. Quem nos conduz é a sociedade.”

Carlos Comassetto, vereador em Porto Alegre
“Temos a tranquilidade e a certeza de reafirmar que o Partido dos Trabalhadores atua em todos os cenários para que este país seja da inclusão e da defesa da democracia. Temos aliança com os movimentos sociais com quem mantemos e manteremos diálogo constante.”

Entre outras lideranças do PT, também, participaram do ato os deputados federais Dionilso Marcon, Elvino Bohn Gass, Henrique Fontana, Marco Maia, Paulo Pimenta, Pepe Vargas, e os estaduais Adão Villaverde, Altemir Tortelli, Edegar Pretto, Jeferson Fernandes, Stela Farias, Tarcísio Zimmermann, Nelsinho Metalúrgico e Zé Nunes.

Texto: Roger da Rosa (MTE 6956)

Fotos Caco Argemi