Paim fica no PT

Paim e executiva1

Depois de mais de três horas reunido com a Executiva do PT/RS e lideranças como o ex-governador Olívio Dutra, ex-prefeito de Porto Alegre Raul Pont e o presidente do PT Estadual Ary Vanazzi, na sede do partido, Paim recebeu documento com compromisso dos petistas gaúchos de apoio as pautas que defende no Senado. Na nota, os dirigentes apoiaram e se somaram as críticas de Paulo Paim ao governo federal. O texto faz referência a política econômica e social, que “não correspondem ao programa eleito nas eleições de 2014, posições já expressas no Congresso Estadual do PT/RS”. O conteúdo reafirma ainda o compromisso com as causas defendidas pelo Senador em toda sua trajetória de luta e no parlamento, assegurando apoio ao trabalho de Paim para sua permanência no PT.

Em Canoas, o Senador reuniu-se com apoiadores e assessores de seu mandato, na sede do Centro Integrado Paulo Paim, onde referendou a nota do partido e decidiu ficar no PT.

“A nossa posição é de que continuamos no Partido dos Trabalhadores para seguirmos nossa caminhada”, declarou Paim.

O presidente Ary Vanazzi saudou a decisão do Senador e acrescentou, “esperamos que as relações se estreitem e que a classe trabalhadora possa ter mais vozes e lideranças na sua defesa nestes momentos difíceis e de criminalização da política, e uma destas lideranças, sem dúvida, é o companheiro Paulo Paim”.

Leia nota na íntegra

O Partido dos Trabalhadores do RS em reunião de sua Executiva Estadual com o Senador Paulo Paim entende:

1. Que o conjunto das preocupações pautadas sobre os rumos da política econômica e dos ajustes propostos pelo Governo Federal não correspondem ao programa eleito nas eleições de 2014, posições já expressas no Congresso Estadual do PT/RS.

2. O PT/RS reafirma o compromisso com as causas defendidas pelo Senador Paulo Paim em toda sua militância e nos seus mandatos na Câmara e no Senado, em consonância com os movimentos sociais e sindical tais como, a luta pela igualdade de gênero e racial, os direitos da juventude, pela acessibilidade universal, dos direitos dos trabalhadores aposentados e pensionistas e as demais pautas oriundas das lutas sociais, e tudo que se refere a inclusão com cidadania.

3. Debatemos na reunião o afinamento das relações entre o partido e o mandato, e priorizando os detentores de mandato para as disputas nos pleitos, respeitando o Estatuto Partidário.

O Senador apresentará a síntese do debate da Executiva, em reunião de seu coletivo político a tarde para avaliar as propostas aqui formalizadas.

Porto Alegre, 11 de janeiro de 2016