EM DEFESA DA DEMOCRACIA: Artistas gaúchos lançam manifesto

Ato cultura 1

NÃO VAI TER GOLPE
Artistas gaúchos lançam manifesto em defesa da democracia e contra o golpe

Cerca de 500 pessoas participaram do ato convocado pelo grupo de artistas gaúchos, intitulado “Cultura em Defesa da Democracia e da Legalidade”. O evento ocorreu em frente ao Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção em Porto Alegre, neste domingo (20) à tarde, e foi uma preparatória para outra atividade já marcada para a próxima quarta-feira (23).

Neste domingo, na Redenção, artistas animaram o público presente com diversas performances, algumas típicas de espetáculos circense, como malabarismo, além de declamação de poemas por poetas locais, flash mob e rodas de capoeira. Durante a atividade, foi lido e entregue ao público um manifesto “A Cultura pela Democracia” (confira o texto abaixo). No final, todos foram convocados a participar de novas manifestações durante a semana em favor da democracia e contra o golpe em curso.

Na quarta-feira, a partir das 17h, os artistas vão se concentrar no Largo Zumbi dos Palmares (bairro Cidade Baixa, na Capital), onde farão diversas manifestações pela democracia e pela garantia do Estado Democrático de Direito. Em seguida, saem em uma caminhada com batucada até o Teatro Renascença, local de novas apresentações artísticas do grupo Cultura pela Democracia.

“MANIFESTO A CULTURA PELA DEMOCRACIA”
Não é a tua janela, a minha rua, esta esquina ou aquela avenida – o problema é manter o horizonte aberto da democracia. Por ela lutamos e continuamos a lutar.
Para que seja preservada, contra todos os autoritarismos, como os que nos rondam agora, nessa grave crise política.
Não queremos privilégios para fulano ou beltrana, não estamos aqui para defender um deputado ou qualquer líder – queremos justiça equânime para todos.

Investigação dentro da lei, sem livrar a cara de qualquer um.

O país precisa sair dessa melhor do que entrou.
Não é a favor do marasmo, nem da balbúrdia – é a favor da vida livre, contra as discriminações de opinião, classe, gênero, etnia, gosto.” Para isso chegamos até aqui, e para preservar o já conquistado é que vamos adiante.”

Texto: Roger da Rosa – Jornalista (MTE 6956/RS)