10 de Maio: – Dia Nacional de Luta culminou com ato contra o golpe

ato 10 de maio

O Dia Nacional de Luta culminou com ato contra o golpe e pela democracia na Esquina Democrática, em Porto Alegre. No ato, reuniram-se as lideranças e a militância que fizeram a jornada vitoriosa de lutas deste 10 de maio.
Ações em todo Brasil marcaram a luta contra o golpe. Bloqueios de diversas rodovias, na Região Metropolitana de Porto Alegre e no interior do Estado, foram promovidos por movimentos sociais contrários ao impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Organizado pela Frente Brasil Popular e a Frente Povo sem Medo, a ação, que foi replicada em outros Estados, faz parte de uma estratégia “contra a admissibilidade do golpe”, cuja votação está prevista para esta quarta-feira (11), no plenário do Senado.

NO ATO
Lideranças do MST, CUT, CTB, PT, Levante Popular foram unânimes em afirmar, “a mobilização que parou as estradas no Estado, foi uma importante demonstração da força dos trabalhadores, dos partidos políticos e dos movimentos sociais contra o golpe”. “E o momento é de preparar o futuro, denunciar o Temer e de criar uma pauta de luta para avançar”, ressaltaram.
“Mostramos a indignação da militância de esquerda e demos um aviso, vamos continuar denunciando o golpe e a pauta neoliberal de Temer”, destacou o presidente do PT/RS Ary Vanazzi.

A CUT e a CTB avisaram que o próximo período será de “resistência contra o retrocesso que o possível governo Temer já anuncia contra o direito dos trabalhadores”, afiançou Guiomar Vidor da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil. Claudir Nespolo presidente da Central Única dos Trabalhadores disse que o 10 de Maio, Dia Nacional de Luta, serviu para denunciar o golpe patrocinado pelas elites e mostrar que a luta vai continuar, “não vamos aceitar a ruptura do Estado Democrático de Direito pacificamente”, destaca o líder sindical.

Para o representante do MST no RS, Cedenir de Oliveira, a política brasileira teve uma derrota institucional, “mas os movimentos saem vitoriosos desta luta contra o golpe, e já preparamos a pauta para o próximo período, que será de resistência e mobilização”, reforça o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra.

A juventude, através do Levante Popular, JPT, UJS, UNE e tantos outros, teve um papel importante na organização do dia nacional de luta. Caminharam lado a lado com a Frente Brasil Popular e o Povo Sem Medo nas manifestações que bloquearam as estradas. Para Ana Costa, do Levante, o dia foi vitorioso, e  “vamos que continuar denunciando a ilegitimidade do Temer, se assumir, e ficar de vigília pela democracia. Até Dilma voltar, estaremos nas ruas”, avisou.

OS BLOQUEIOS
As ações fecharam a BR-290, em Eldorado do Sul, as rodovias RS-040, em Viamão, RS-118, BR-116, em Caxias, Br-285, em Santo Antônio das Missões, BR-386, em Nova Santa Rita, BR-386, em Carazinho, BR-392, em Rio Grande, BR-153, em Marcelino Ramos, BR-158, em Santa Maria, no final da tarde, na ponte do Rio Tramandaí, no litoral norte