PT denunciará o golpe no debate eleitoral

Executiva

O PT gaúcho, sua direção e bancadas estadual e federal, reuniram-se nesta segunda-feira (11), na sede da AFOCEFE, no centro histórico da capital. Durante todo o dia, os petistas debateram eleições, fizeram diagnósticos dos municípios, com base em dados do Grupo de Trabalho Eleitoral – GTE 2016 e discutiram conjuntura nacional e estadual.

Para a direção do PT gaúcho, a eleição municipal é o momento ideal para debater e denunciar o golpe, suas políticas recessivas, capitaneadas por Temer, e o descaso do governo Sartori com os servidores e o desenvolvimento do Estado.

A abertura das eleições se dará antes da votação, pelo Senado, do impeachment da presidenta Dilma. Com isso, vai oportunizar a denúncia do governo golpista de Temer e de suas políticas recessivas, durante o debate eleitoral. “Não vamos desvincular a defesa de nossas propostas com a denúncia do golpe”, garante o presidente estadual do PT. “Propostas como a PEC que altera os mínimos constitucionais para as pastas de Saúde e Educação, serão debatidas em todas as oportunidades pelos candidatos (as) do PT”, exemplifica o líder petista. “É com esta lógica que vamos disputar as eleições municipais, quem apoia Temer, apoia suas políticas, e portanto vai governar o município com esta visão. Sem qualquer preocupação com políticas públicas para a população mais pobre”. O mesmo cabe para o governo Sartori que tem um projeto de destruição do RS, de precarização dos direitos dos servidores públicos, e de privatização, “mesma política de Michel Temer”, avalia Vanazzi. “A aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2017, com forte arrocho salarial e a manutenção da política de cortes de gastos e quase nenhum investimento, demonstra seu alinhamento com as políticas neoliberais de Temer e seus aliados”, conclui o  presidente estadual do PT.

A direção petista e seus deputados também se comprometeram em fortalecer a Frente Brasil Popular, os comitês de luta criados no interior, como ferramenta contra o golpe e como instrumento de luta dos trabalhadores contra o desmonte de suas conquistas.