PT/RS aprova nota onde avalia resultado das eleições

Estrelinhas

Em reunião da Direção Executiva ampliada, na sexta-feira (7), o PT gaúcho aprovou nota onde avalia os resultados das eleições, abre o debate sobre o próximo período, trazendo à pauta a construção do XI Congresso, a luta pelas reformas e o reforço da luta contra o golpe.
O partido também convoca reunião do Diretório Estadual para o dia 13 de outubro, quinta-feira, a partir das 18h30min, na sede da AFOCEFE, na rua dos Andradas, 1234, 21º andar, continuará o debate das eleições e da conjuntura no País.

 

 

Nota Política do PT-RS

1- O resultado do 1° turno das eleições municipais apontam que o golpe contra democracia articulado pelos setores conservadores, com forte apoio e empenho dos grandes meios de comunicação, colheu seus frutos. A antipolítica (voto no Ninguém) foi vitoriosa em vários grandes centros e cidades médias, assim como os setores mais conservadores e retrógrados que obtiveram um resultado importante nas urnas.

2- Aproveitando-se do atual o momento político, o governo golpista de Temer apresenta uma agenda recessiva, com reformas que visam a perda de direitos dos trabalhadores, com a entrega do Pré-Sal às grandes companhias petrolíferas estrangeiras, com a aprovação da PEC 241 que congela de gastos sociais por 20 anos, a reforma do ensino médio por medida provisória e tantas outras medidas já em curso que aprofundarão a crise econômica e o desemprego;

3- É inegável que em nível nacional o PT colheu um resultado negativo. Fruto centralmente da ofensiva sem tréguas dos que se opõe ao projeto de transformação dos últimos 13 anos, mas também por erros estratégicos na condução do Partido e do governo, tais como:
* a guinada neoliberal na política econômica em 2015, que lançou ao desemprego parcelas da classe trabalhadora e nos fez perder apoio da base social que elegeu Dilma. A não aplicação do programa eleito em 2014 nos custou caro, e esse apoio nos faltou no enfrentamento ao golpe, assim como faltou agora;
* a acomodação eleitoral institucionalista que nos fez perder militância;
* não ter priorizado a reforma política que possibilitaria o rompimento com este sistema corroído que era o do financiamento empresarial de campanha, o que permitiu a permanência dos métodos tradicionais da política brasileira, em que o poder econômico é onipresente, manda, faz e desfaz.

4- Sobre o fator central, nos cabe seguir nas ruas denunciando o golpe e combatendo as medidas do governo que querem levar o Brasil de volta aos anos 90, tempos de privatizações, desemprego ainda maior, apagões, arrocho salarial e Brasil submisso;

5- Quanto ao PT urge uma mudança de rumos na sua condução nacional. O VI Congresso Nacional, já convocado pelo Diretório Nacional, deve ocorrer ainda este ano, com delegados(as) eleitos pela base nas etapas municipais e estaduais do Congresso, e que este seja plenipotenciário.
Não é possível que continuemos tolerando determinadas práticas por parte de alguns filiados e dirigentes. Romper com essas políticas e práticas, “virar à esquerda”, retomar a identidade política e programática, são tarefas imediatas. As urnas deram o recado.

Cabe ao PT interpretá-lo corretamente e se colocar à altura dos desafios;

6- O PT-RS saúda os 39 prefeitos(as) eleitos(as) pelo partido no Estado, bem como os(as) 475 vereadores(as) eleitos. Saúda também a eleição de seu Presidente Estadual, companheiro Ary Vanazzi, como próximo prefeito de São Leopoldo.

7- Por fim, a direção estadual chama a militância à participação efetiva nas disputas de 2° turno em que estamos aqui no Estado. Em Santa Maria com Valdeci Oliveira como candidato a prefeito, e em Canoas em que somos vice na chapa.

Comissão Executiva Estadual PT-RS.