Neto de Jango ingressa no PT/RS

P1160623

Em uma cerimônia simples, mas de densidade simbólica elevada, o neto do ex-presidente Jango Goulart, João Goulart Neto, de 37 anos, filiou-se ao PT gaúcho, na manhã de hoje (27), na sede em Porto Alegre.

O ato, com a presença do presidente de honra do partido, Olívio Dutra, sucedeu uma reunião de trabalho da executiva estadual que ocorre às segunda-feira e que o novo filiado acompanhou desde o início.

Olívio deu-lhe as boas- vindas salientando que o momento político do pais é gravíssimo e que Jango Neto chega ao PT para compartilhar responsabilidades da proposta coletiva da esquerda, do socialismo e da democracia.

Já o presidente do PT/RS, Ary Vanazzi, afirmou que Jango Neto contribui para a estratégia partidária de agregar bons quadros políticos para fortalecer o PT.

O presidente do diretório da capital gaúcha, Rodrigo Oliveira, ressaltou a importância da compatibilização do símbolo do passado com a projeção de futuro que a presença do jovem neto de João Goulart representa para o PT.

Saudado pelos companheiros, Neto disse que o evento era de muita felicidade porque acalentava o sonho da filiação há muito tempo e também porque a data coincidia com o marco de dois meses de vida do seu primeiro filho, Gael. Ainda destacou a semelhança do cenário político atual com o ambiente do golpe de 1964 que derrubou e exilou seu avô, que só voltou ao Brasil depois de morto, em 1976. “Tomei as dores do PT em 2014 vendo a disseminação da prática da mesma anti-política de 64”, contou ele, que possui formação técnica como publicitário e não tinha militância orgânica no PDT como seus familiares. “O ideário e o legado do Jango transcendem os partidos”.

Participaram da solenidade, além dos dirigentes do partido, o ex-prefeito Raul Pont e o deputado estadual Adão Villaverde, além do escritor Cássio Moreira, autor de“O Projeto de Nação do Governo João Goulart: o Plano Trienal e as Reformas de Base (1961-1964)”, que não é filiado à sigla.

Citado como o principal incentivador da filiação de Jango Neto ao PT, o escritor acentuou as qualidades pessoais do amigo e definiu o PT como “um partido que é trabalhista na prática e que, por isso, tem afinidade maior com o neto do ex-presidente que tem um forte viés social, como o avô tinha”.