Memórias, emoções e homenagem na instalação do Comitê Marco Aurélio Garcia

21231249_1664982433526128_5558503093688295517_n

O PTRS instalou na noite desta segunda-feira (28), em Porto Alegre, o Comitê Marco Aurélio Garcia de Relações Internacionais com uma homenagem repleta de histórias e emoções de quem conviveu e “aprendeu” com aquele que se tornou referência em política internacional e principal pilar da política externa do PT e dos governos Lula e Dilma. O ato de lançamento do Comitê contou com presenças de vários companheiros que iniciaram a militância política, ainda na juventude, com Marco Aurélio Garcia, falecido recentemente. O presidente do PTRS, deputado Pepe Vargas, ao oficializar o Comitê ao lado de Jorge Branco, secretário de Relações Internacionais do Partido, ressaltou a importância de Marco Aurélio, não só no cenário brasileiro e interno ao PT. “A história de lutas de Marco Aurélio se confunde com a história de lutas do PT e da América Latina”, sintetizou.

A presidenta do PT Nacional, senadora Gleise Hoffmann, saudou a iniciativa do PTRS e, em carta, disse que “não poderia haver forma mais apropriada de manter viva a sua memória: debater e avaliar as perspectivas da conjuntura internacional, lutar e militar pela integração latino-americana e contribuir com reflexões para que o Brasil volte a ter uma política externa autônoma outra vez”. No que concordou o ex-governador Tarso Genro: “Para enfrentarmos esta nova ordem estabelecida, não há outra saída, senão formar um grande bloco de países socialistas e comunistas. E, portanto, elaborar políticas de relações internacionais é elemento vital”.

Os ex-deputados Flávio Koutzii e Raul Pont, companheiros de Marco Aurélio na militância nos tempos da ditadura militar, entre histórias pitorescas, lembraram o humor – que aparecia mesmo nos momentos de lutas difíceis – e destacaram a grande capacidade de Marco Aurélio de integrar e de criar laços de solidariedade. Ao longo de uma hora, renderam homenagem a Marco Aurélio e saudaram a inciativa do PTRS, o ex-governador Olívio Dutra, o jurista Werner Becker, a deputada Maria do Rosário, entre outros. O ato teve também a participação do músico Zé Martins, do Grupo Unamerica. Mais de 50 pessoas participaram do ato, entre elas, políticos, acadêmicos e amigos que, encerraram o evento com “Marco Aurélio Garcia, presente!”.

Segundo Jorge Branco, o Comitê vai funcionar articulado com outros partidos, organizações e personalidades vinculadas à esquerda e à democracia. Também deverá acompanhar o Fórum Social Mundial e o Fórum de São Paulo. Ele será composto por militantes, filiados e simpatizantes que, de forma aberta, acolherá aqueles que querem debater o quadro internacional a partir da perspectiva do PT. “A ideia é trabalhar com principalidade a defesa dos direitos humanos; do feminismo e do internacionalismo; da defesa dos recursos naturais do continente; da soberania nacional e dos povos; da integração latino-americana; dos direitos dos imigrantes, apátridas e refugiados; do combate ao oligopólio privado da mídia e da luta contra a intervenção do imperialismo na desestabilização das democracias no continente”, detalha o presidente do PTRS, Pepe Vargas.

As relações internacionais do PT e a ação deste Comitê darão base e pressupostos da luta contra o neoliberalismo, do combate ao imperialismo, da defesa da democracia, da defesa da soberania dos povos e da unidade da esquerda. “Nossa intenção é reforçar e fomentar o debate e ações, nas quais o PT tem tradição, das relações internacionais e na solidariedade com as lutas populares, em especial, no Cone Sul da América do Sul”, complemente o secretário de Relações Internacionais, Jorge Branco., ressaltando preocupação de recessão, desemprego, de ataques à democracia e à soberania , de crescimento da imposição do imperialismo.