“O PT será sempre minha trincheira de lutas”, diz Gaudêncio Fidélis

23379895_1748378555186515_5954451486137659014_n

“O PT será sempre minha trincheira de lutas”,
diz Gaudêncio Fidélis

A pressão de diversos movimentos culturais, artistas, militantes das artes e do Partido dos Trabalhadores, foi muito importante para que o presidente da CPI dos Maus Tratos, senador Magno Malta, suspendesse ontem o mandado de condução coercitiva contra o curador da exposição Queermuseu, o petista gaúcho Gaudêncio Fidélis.
Um ato em de defesa da Cultura e contra a Censura realizado em Porto Alegre, organizado pelo PT com a presença da presidenta nacional, senadora Gleisi Hoffmann, dos presidentes do PTRS, deputado Pepe Vargas, e do PT de Porto Alegre, Rodrigo Dilélio, fez eco em todo país. A petição organizada por artistas reuniu em poucos dias mais de sete mil assinaturas pedindo exatamente a suspensão da condução coercitiva, que cedeu lugar um convite para que Fidélis vá na CPI.
O PT se comprometeu com Fidélis, em reagir fortemente se a medida “autoritária”, fosse mantida. Na ocasião, o curador da Queermuseu manifestou sua gratidão ao Partido ao qual é filiado e garantiu emocionado que o PT foi e sempre será sua trincheira de lutas. “O PT abriu espaços, saiu à frente para debater com a sociedade, democratizou a cultura e garantiu avanços da democracia. Por isto, cada um de nós, militantes, devemos nos transformar em lideranças na defesa da democracia e contra a censura”, conclamou