RS volta a ser simbolo de resistêcia – em defesa da democracia e de LulaGE

P_20171227_195722

 

Coube ao Rio Grande do Sul, mais uma vez na história do país, ser palco de outro importante movimento de resistência a ataques à democracia. De hoje até dia 24, data do julgamento do presidente Lula no TRF4, Porto Alegre será sede de manifestações nacionais e internacionais em defesa da democracia e do direito de Lula a ser candidato à presidência da República em 2018.

O PT nacional, os regionais e municipais estão mobilizados e empenhados, junto com outros partidos de esquerda e com entidades e movimentos sociais, em comprovar que a Justiça, no caso Lula, tem sido seletiva. É um processo que tem o objetivo “obsessivo”, como diz a presidenta do PT Nacional, Gleisi Hoffmann, de incriminar somente o presidente Lula para tirá-lo da disputa de 2018 e, assim, completar o Golpe iniciado com o impeachment da presidenta Dilma.

Em reunião do diretório estadual, nesta quarta-feira, o vice presidente do PT Nacional, Alexandre Padilha, e o presidente do PTRS, Pepe Vargas, conclamaram a militância a participar deste grande movimento de resistência, que terá como marco o dia 13, Dia Nacional de Mobilização, quando serão instalados em centenas de municípios do país os comitês populares em defesa da democracia e de Lula. “Cada sede do PT, cada casa, cada sede de entidade devem-se transformar em comitê em defesa da democracia”, salientou Padilha.

Espera-se que Porto Alegre receba centenas de militantes da causa a partir do dia 20, com a instalação do acampamento do MST e da chegada de caravanas vindas de diversos municípios gaúchos e de outros estados.

Dia 22 haverá um grande debate jurídico reunindo juristas brasileiros e estrangeiros renomados. Alguns deles já têm demonstrado que há muitas falhas no processo montado contra Lula, principalmente porque não apresenta provas.

Dia 23 haverá um ato potente organizado pelas secretarias de Mulheres do Partido, que terá as presenças da presidenta Dilma e sua ministra das Mulheres, Eleonora Menicucci.
Neste dia inicia-se uma vigília em nível nacional.

Dia 24, dia do julgamento, haverá um grande ato politico-cultural, que se inicia simultaneamente ao julgamento no TRF4, previsto para às 8 horas.

Dia 25, segundo informou Padilha, independente do resultado do julgamento, o PT nacional reunirá seu diretório e seus parlamentares de todo país para reafirmar o nome de Lula como candidato do PT em 2018.
“Vamos provar que este processo é uma farsa e que Lula tem direito a ser presidente de novo”, defende Pepe.
Padilha também lembrou, ao final da reunião, que a mobilização deve se estender por todo ano. “O TRF4 será uma das batalhas que enfrentarmos neste 2018. E nós só deixaremos o Lula andar sozinho na hora de subir a rampa do Palácio para tomar posse como presidente”, afirmou.

Texto e foto: Dica Sitoni – assessoria PTRS