Gleisi: “É nas ruas que vamos vencer.”

Com Lula em Porto Alegre

Gleisi: “Temos de nos preparar para lutar. É na rua que vamos ganhar!”

A poucos metros do TRF4, a presidenta do PT discursou no Acampamento da Democracia em Porto Alegre nesta quarta (24)
 24/01/2018 17h44
Magno Mota
Presidenta do PT discursa no Acampamento da Democracia em Porto Alegre nesta quarta (24)

Com o povo unido ao lado de  Lula, o Brasil e o mundo puderam na tarde de terça-feira (23) um testemunho da resistência e da luta que darão o tom das mobilizações populares e sociais em 2018.

“Ontem vocês tiveram uma demonstração do que é capaz o povo organizado e unido, a esquerda organizada e unida, os movimentos sociaisorganizados e unidos”, afirmou a presidenta nacional do PT,  Gleisi Hoffmann, no Acampamento da Democracia em Porto Alegre.

Enquanto do outro lado da rua acontecia o julgamento dos recursos do caso do ex-presidente no TRF4, milhares de militantes se reuniam no Anfiteatro Pôr do Sol de forma pacífica e democrática, demonstrando sua solidariedade a Lula e a disposição para lutar em defesa da democracia brasileira.

“Esta organização está linda, e ela vem crescendo desde o impeachment da presidenta Dilma˜, comentou Gleisi, que aproveitou para agradecer aoMST, às centrais sindicais, ao Levante Popular da Juventude e à Marcha Mundial de Mulheres, além de outras entidades e movimentos que ajudaram a transformar Porto Alegre na capital da defesa pela democracia.

“Quero agradecer a todos esses partidos que estão entendendo o que estamos vivendo neste momento. A defesa da democracia deste país não é uma questão partidária”, reforçou.

Gleisi lembrou que, já após o resultado final do julgamento, é importante reforçar a luta conta a Reforma da Previdência. “Por isso, temos que lutar junto do povo brasileiro. E sei que as centrais sindicais estão preparando uma greve geral para parar este Brasil!”

Sobre o julgamento que ocorria a poucos metros, Gleisi comentou a atuação do desembargador João Pedro Gebran Neto, relator da Operação Lava Jato na 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

“Ele usou mais de uma hora para defender o juizSérgio Moro, que nós sabemos aqui que é compadre dele. Disse que o Moro foi atacado pela imprensa, pelos movimentos sociais. Ele trouxe como justificativa a sua primeira sentença condenatória o power-point do Ministério Público. E trouxe a velha teoria do domínio do fato usada no Mensalão.”

Independentemente do resultado, Gleisi reforça tratar-se de um momento crucial de nossa democracia. “Essa sentença do TRF-4 é um divisor de águas para saber se vamos ter respeito à Constituição, aquele acordo de 1988, ou se vão rasgar a Constituição como o Congresso rasgou no impeachment da Dilma.”

“Qualquer que seja a situação, vamos recorrer em todas as instancias do Judiciário. Queremos que seja feita a justiça com o presidente Lula, ele é inocente!”

Para a senadora, não se pode aceitar uma sentença que não seja justa, que não seja constitucional. “Não vamos deixar de lutar pela democracia nessa encruzilhada política. Temos que nos preparar para lutar, temos que nos preparar para estar nas ruas e nas praças deste país. Neste momento, é radicalização total do povo brasileiro. É na rua que vamos ganhar esta luta!”

Da Redação da Agência PT de Notícias, enviada especial a Porto Alegre (RS)