Barrar a PPP da Corsan é defender a água pública

Crédito da imagem: http://www.fenae.org.br

A Executiva Estadual do PT/RS reafirma posição unânime tomada pelo Diretório Estadual, em novembro do ano passado, contrária a proposta de Parceria Público-Privada do governo Sartori para a Corsan. A PPP da Corsan faz parte da estratégia do governo do PMDB de privatizar a água e o saneamento no RS, impondo para a população da Região Metropolitana – alvo da PPP -   tarifas cada vez mais caras.

O governo Sartori tenta iludir os municípios com promessas de investimentos quando, recentemente, perdeu R$ 300 milhões garantidos pelo governo Tarso junto à União, a fundo perdido. Estes recursos iriam garantir obras fundamentais de saneamento nas bacias do rio Gravataí e rio dos Sinos, duas regiões que estão no alvo da PPP da Corsan.

Nunca é demais lembrar que neste momento de intensa luta contra o golpe no Brasil, as privatizações propostas por Temer e Sartori atendem ao interesse do capital financeiro internacional e nacional que apoiaram o golpe, como um atalho para alcançar seus interesses de maiores lucros.

Resistir às PPPs nos setores essenciais à vida -  como a água, o saneamento e a energia – é barrar as privatizações nocivas à população gaúcha, em especial, o povo pobre que será excluído destes serviços quando não puder pagar as tarifas. Por esta razão, o PT/RS reafirma posição contrária à PPP da Corsan, determinando às bancadas petistas nas Câmaras Municipais a votarem contra a adesão de suas cidades a esta proposta do governo Sartori. Da mesma forma, os governos municipais do PT não devem assinar contratos que viabilizem a PPP da Corsan.  A luta é de classes e nossas bancadas e governos precisam, mais do que nunca, ser trincheiras de resistência dos interesses do povo.

 

Pepe Vargas – Presidente

Nelsinho Metalúrgico – Secretário-Geral

 

Porto Alegre, 23 de Abril de 2018