Rossetto realiza roteiro em municípios do Pampa Gaúcho

Durante os dias 23 e 25, o pré-candidato do Partido dos Trabalhadores ao Governo do Estado, Miguel Rossetto, percorreu os municípios de Dom Pedrito, Candiota, Hulha Negra e Bagé, na Região do Pampa. Durante o roteiro, Rossetto foi recebido por mulheres, homens e crianças que o motivaram para seguir a caminhada tendo a certeza de que é possível fazer com que o Rio Grande do Sul volte a ser um Estado para todos.

No município de Candiota acompanhado de companheiros, companheiras e o diretor do Sindicato dos Mineiros, Ermelindo Ferreira, foi até sede da Companhia Riograndense de Mineração (CRM), reafirmando que defender a CRM é defender uma agenda de futuro forte: “não aceito a privatização desta companhia que tem um papel decisivo no desenvolvimento de Candiota e Região”, disse Rossetto.

Em Hulha Negra, foi recebido por algumas das 1.800 famílias do Assentamento Conquista da Fronteira, onde conversou sobre as condições da educação, saúde e desenvolvimento da região a partir do leite, sementes e outras possibilidades de geração de renda. “Falamos também sobre os 25 mil produtores de leite que estão parados devido ao descaso do atual governo, mas também relembramos que a reforma agrária vale a pena e que é, sim, a solução para milhares de gaúchos e brasileiros que vivem da terra”, afirmou.

Em Aceguá, Rossetto se reuniu com assentados que falaram sobre sua realidade – tanto para a produção quando a venda do que produzem – e conheceu o Hospital Colônia Nova. Em Dom Pedrito e Bagé, em reunião com centenas de companheiros, Miguel reafirmou que no dia 1º de janeiro de 2018 teremos a posse do presidente Lula em Brasília, e em Porto Alegre o povo voltará a subir as escadarias do Palácio Piratini, tendo a certeza que terá um governador que olhará e tratará diretamente dos assuntos mais críticos enfrentados por todos os gaúchos.

“Nosso povo está cansado, mas juntos nos fortalecemos e reafirmei minhas prioridades com o pagamento dos salários em dia, e segurança e educação de qualidade – é preciso e urgente um Estado que valorize seus servidores e, fundamentalmente, seu povo”, destacou Rossetto.

 

Texto: Daiane Roldão da Silva

Fotos: Ubirajara Machado