Rossetto debate projeto estratégico para a educação do RS

28537036027_78ca68e632_z

O sábado (14) reuniu centenas de educadoras e educadores de todo o Estado para debater junto com Miguel Rossetto, pré-candidato ao Governo do Estado, “A Educação que o Rio Grande quer – Um projeto estratégico da Educação no RS”. A atividade que ocorreu no Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa do RS, contou com a presença do pré-candidato e também de Pepe Vargas, Olívio Dutra, Maria do Rosário, Jose Clovis de Azevedo, Juçara Dutra, Raul Pont e da professora Acácia Kuenzer, doutora em Educação e Professora da Feevale. Os deputados federais Elvino Bohn Gass, Henrique Fontana e Dionilso Marcon também estiveram presentes.

No início das atividades o Coordenador da Setorial de Educação, José Clóvis de Azevedo, apresentou para todos os presentes a proposta do programa de governo na área da educação do pré-candidato, Miguel Rossetto. “O documento que vocês receberam com nossas propostas para a reestruturação da educação em nosso Estado não é fechado, todos vocês poderão e devem contribuir. Abrimos hoje uma discussão, e vocês devem enriquecer este programa. Temos a possibilidade de iniciar um processo de reconstrução da educação gaúcha e queremos o compromisso e a contribuição de todos, para que possamos alavancar a educação do RS”.

Presidente do PT/RS, o deputado Pepe Vargas destacou a importância do debate de propostas para a educação, neste momento de brutal ataque ao setor e às conquistas sociais. “Estamos enfrentando o congelamento dos investimentos em educação por 20 anos, uma reforma autoritária do Ensino Médio, o obscurantismo do discurso escola sem partido e contra a educação de gênero”, lembrou. “ Nosso Partido tem um histórico de defesa da educação pública, de qualidade, democrática e gratuita, com valorização dos trabalhadores e trabalhadoras em Educação. Este histórico deve ser colocado a serviço do Rio Grande”, reforçou Pepe.

Para Eduardo Rolim, presidente da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, neste momento em que estamos pensando no futuro do país e no do Rio Grande é preciso que façamos bancadas estaduais e federais capazes de dar sustentação, para que não fiquemos reféns de golpistas, de estruturas que querem votar em escolas sem partido. “É preciso que a gente reeleja nossos deputados e Rossetto como governador, é preciso que o senhor lidere uma grande caminhada para revogar a Emenda Constitucional 95, se faça um sistema de educação que englobe municípios, Estado e país, e realize financiamentos constante e sério da educação, que passe pela recuperação do pré-sal e o sistema público de educação deste país. É preciso que o governador sente com os movimentos sociais e de educação para governar e certamente Rossetto irá fazer isso”, disse.

O ex-governador Olívio Dutra em breves palavras falou sobre a capacidade de Rossetto para governar o Rio Grande do Sul e melhorar a qualidade da educação pública do Estado. “Miguel irá retomar a participação popular, não irá se afastar dos movimentos e tem um projeto de sociedade democrática, socialista. Tenho certeza que este nosso aprendizado semeou um futuro de cidadania para o nosso povo e a educação tem um papel importante, fundamental. Miguel está disposto a aprender sempre, e nós temos que nos fortalecer para o que está por vir”

A professora Acácia destacou que é preciso fazer uma análise dos impactos sobre o processo de trabalho do professor. “Precisamos de uma reforma educacional que ouça todos, os melhores resultados são frutos uma gestão democrática e da efetiva integração de políticas”, disse. “O governo Tarso conseguiu bons resultados porque integrou políticas e as desenvolveu de uma forma só, e hoje nós temos um novo caminho com a proposta que vocês receberam nesta manhã. Temos um novo caminho de gestão participativa. O RS ao longo de sua história deu inúmeras demonstrações de um povo aguerrido, que não abre mão do enfretamento para garantir uma boa educação, e agora vocês têm a oportunidade de retomar a educação do Rio Grande mais uma vez, vocês têm todas as condições para fazer diferente, é uma paranaense que vos fala, vamos em frente e vamos à luta”, falou Acácia.

Miguel Rossetto ressaltou seu compromisso com o pagamento dos salários em dia, ressaltando que não há educação de qualidade sem a valorização do servidor. “Tenho certeza que todos nós saímos daqui maiores, aprendemos, dialogamos e transformamos este espaço em uma grande sala de aula, um espaço de construção, conhecimento, compromisso e construção de um futuro coletivo. Quero agradecer a todos e todas por essa expressão e reafirmação de compromisso com a educação, democracia e sociedade de inclusão”.

Rossetto disse ainda que tempos de crise, são tempos de escolha. “Nossas escolhas são claras, e a escolha fundamental é a ideia de que o direito à educação é permanente, inalienável de um povo e uma juventude, e a escola pública assegura este direito. A educação não é um direito temporário, é permanente e nós queremos uma escola organizada de forma permanente, uma escola que integra e constrói, que reconstrói identidades”.

“Nós queremos uma sociedade que recuse a ideia de desigualdade e violência, só há uma condição para nossa sobrevivência, que é viver no coletivo. Nós que estamos aqui queremos viver esta coletividade de forma solidária, com felicidade para todos, e nós queremos construir esta sociedade. Temos que pensar numa rede e sistema permanentes, são mais de 2 milhões de jovens e adultos que estão nesta grande rede de educação do RS, temos uma tarefa importante para este Estado que é avançarmos na escola infantil, através de uma das maiores revoluções que fizemos nos últimos tempos”, destacou Rossetto.

“Minha responsabilidade é integrar, criar um ambiente de integração que compartilhe responsabilidades. Temos que derrotar um projeto político que comemora o fechamento de escolas públicas. Queremos pensar uma relação federativa, de cooperação e diálogo com os municípios e federação. Temos obrigação de pensar financiamentos em longe e médio prazo, por isso é tão importante que o ex-presidente Lula volte a governar”, disse.

Miguel finalizou reafirmando: “Eu quero ser governador do Rio Grande com este projeto e vou construir um projeto de educação com todos vocês, com alegria, e inaugurar um novo tempo para a educação do nosso Estado. Viva a escola pública do Rio Grande do Sul”.

Texto: Daiane Roldão da Silva – MTB 13.960

Foto: Ronaldo Quadrado